Adeus. Essa palavra sempre me amedrontou muito em relação a nós. Não queria que acabasse muito menos desse jeito. Nossa história foi se desmanchando aos poucos, a história foi ficando repetitiva e cheia de vírgulas. Eu como sempre tentei adiar o fim que era inadiável. Fui colocando vírgulas na onde já deveria ter um ponto final, nossa história foi ficando cheia de brigas, mágoas e lágrimas. Tentei salvar o nosso relacionamento milhares de vezes, mas só com uma pessoa se entregando não dá certo, eu precisava que você também se doasse, mas, você estava tentando acabar com tudo aos poucos pensando que eu não estava percebendo… Você não fazia questão de continuar essa história comigo, pra você tanto faz, mas pra mim não era assim, nunca foi. […] E foi assim, bem assim, que eu decidi parar de tentar salvar algo que não tinha mais salvação desde muito tempo. Foi o fim do nosso ‘‘nós’’. E eu que tinha a esperança que você corresse atrás de mim quebrei a cara de novo, mais uma nova decepção, se bem que não é novidade quando estamos falando de você.[…] Pensando que com o fim de nosso relacionamento o meu sofrimento também iria me deixar, me enganei novamente. Ele está aqui comigo desde quando você me deixou, ele é meu fiel companheiro. Mas o problema é que esse sofrimento se apegou demais a mim e agora não quer partir, ele não quer me deixar seguir em frente. Agora está bom pra você? Você me deixou apenas com vagas lembranças e com uma grande dor no peito. A verdade é que brigo com você por que você me deixou a necessidade de te ter de volta, necessidade de ter de novo suas mãos nas minhas, de ter o teu cheiro nas minhas roupas, do seu sorriso que iluminava meu dia, do seu toque, da sua voz. Eu sinto falta de tudo, mas só isso não é o suficiente para te ter de volta comigo. Então que seja assim, você ai e eu aqui, sem história, sem relacionamento, sem conversas, sem ‘’nós’’.